16 de jun de 2010

Sobre o amor as ciencias médicas

Ganhei de Deus o amor as ciências médicas.
Me deu a fé irredutível no amor possível entre as pessoas...
E consigo mesmas...
Me deu o desconforto incansável de trilhar sem me acomodar ou me consolar até encontrar verdades que façam a diferença. Verdades que promovam curas conscientes, verdades que gerem atitudes construtivas.
Me deu a visão serena e profunda para que alegações banais ou argumentos superficiais não aquietem o meu sentido.
Me deu coragem e valentia para desafiar todos os que protegem dogmas falsos, que não prpoporcionam paz eterna e que não geram genuína e poderosa capacidade de amar e alegrar.
Viver sob a luz intensa da ciência, estar como um padre, casado com a medicina e suas verdades que exigem a seriedade e o compromisso das provas e que de forma alguma prescinde de fé, entrega, perdão...
Para existir como ciência...
Deus me deu o livre arbítrio, e com ele escolhi lutar pela verdade...
A verdade é a cura e a conduta científica que serve para todos os milagres cotidianos, feitos de amor e técnicas que valem para todos e são baseadas não só no espírito, mas nos corpos habitados por estes...
De forma muito clara e simples, Deus ofereceu a todos um organismo que funciona de acordo com Ele mesmo...
Em todo o universo, seguindo princípios, não menos cristãos que todos os outros princípios orgânicos através de uma confissão ou através de uma ressonância magnética, é possível compreender a transparente, honesta e lógica educação científica ou milagre , se preferir.
Pelo qual funciona esse divino corpo humano que inclue uma mente e suas vontades, seu amor e seus medos, suas certezas e suas dúvidas
Amar e cuidar , proteger e meditar, auxiliar e comprometer-se..
Deus me disse, então:
Vai e cura teus semelhantes...
Mas isso não é possível ver que se complete com :
Vai e compreenda-os.

0 comentários:

Postar um comentário